Google+ Followers

terça-feira, 15 de julho de 2014

A TOMADA DA BASTILHA



S'il vous pláit!
Ouçam o que eu vou dizer!...

Os mares de antes navegados
Levaram seu sorriso pra bem longe
De sorte que ficaria eu sozinho
Sem nunca conhecer seu semblante
Sem lhe dar meu sentir pulsante.

Da prisão... quero dizer... sim!
São as palavras doces de meu favor
Ao tê-la,
Ao vê-la,
Ao ter lá, nas alegrias da vida,
Tímido pavor, ínfimo terror.

Tenho buscado alguém que me explique:
Esses novos tempos. - "Trés chic!..."
Libertè, Igualitè, Fraternitè!
Na penumbra é triste viver.

Voa! Voa, liberdade, com o condor
que passa
E se afasta
Da prisão dos filhos da ilusão.

Marcharam rumo à Bastilha!
O verde-louro brasileiro de meu olhar
Leva-me a sempre buscar
A real existência de nossas vidas,
A régia inteligência das plantas.
E cá estamos nós, liberdade franca.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário