Google+ Followers

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Ô FULECO, TOCA A BOLA AÍ...




Ô Fuleco, não tenho dinheiro pra comprar ingresso
Eu sei que o pessoal tá querendo ver a bola rolar
Mas num tô afim de dançar, muito menos de sambar.

Já gastaram um dinheiro bem graúdo
Mas é dinheiro demais pra pouca gente
Eu nem sei quantos zerões gastaram nos salões,
Nos porões, nas mansões, na Copa
Só sei que se eu falar, vão me descer o tapa.
Lá vem a tropa!!

Ô Fuleco, não me faz de bobo, me deixa entender:
Como é que uma arena vai resolver o meu problema?
O que eu faço pra ter um médico pra me atender?

Para com isso...
Quem é que resolve a vida do povo?
Quem é que tem com a gente um verdadeiro compromisso?

Amanhã de madrugada,
Vou a pé pro posto de saúde
Pelo amor de Deus, alguém me ajude!!

Ahhhh Fuleco, eu sempre torço pro Brasil
Mas num dá pra aceitar que os meus filhos vão pagar
Um estádio-arena que vai enriquecer mais ainda o pessoal de lá.

Fuleco, peraí
Eu tenho cara de palhaço?
O povo brasileiro vai mesmo ter que sofrer mais esse regaço?
Tudo bem! Tudo bem! Só num tenta me iludir
Bola na rede é gol
Mas eu num tenho nem um golzinho pra dirigir.
Eu vou trabalhar de bicicleta
Sem pretensão de ser um atleta.

Seu Fuleco, tô precisando abrigar meus filhos
Tô precisando de um teto.
Tô precisando de saúde (emprego),
Tô precisando de educação de qualidade (transporte),
Tô precisando de segurança pública (cultura),
Tô precisando ter uma vida dignaaaaaaa

Fulecooooooooo,
Agora todo mundo quer é gooooool.
Mas eu num vou comemorar não!
O ingresso é caro
E num  vai me sobrar nem um centavo da diversão.

Ô Fuleco, afinal, que bicho você é
Você é um tatu?
Como todo bom brasileiro
Esse ano a gente vai é tomar no...




Nenhum comentário:

Postar um comentário